segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

FÉRIAS

Estou de férias até o dia 02 de janeiro.
Uma Boa entrada de ano para você e para sua família, seus amigos e principalmente para seu cachorro!  

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

presente do Papai Noel

É inevitável. Todos os anos, parentes e amigos bem intencionados acabam dando de presente um cãozinho ou um lindo gatinho para uma criança que não parava de pedir. Um cão não vai ser um brinquedo que pode ser substituído por outro. Não dá para, quando as crianças cansarem do "brinquedo", colocá-lo dentro do armário.
Bem, caso você  seja uma mãe ou um  pai dessa criança, veja como lidar com essa relação entre eles, de forma que se torne menos estressante e mais prazerosa.(Dicas para crianças com mais de 6 anos)
 Não fique tenso, apenas atento, quando seu filho e seu cão estiverem brincando;
 Você é o líder e deve ter total domínio sobre seu cão;
 Sempre que puder, leve seu filho junto quando for comprar a ração e ir ao veterinário;
 Estimule seu filho a participar das aulas de bom comportamento que seu cão recebe do adestrador. É muito estimulante para a criança perceber que o cão obedece a suas pequenas “ordens”, como dar a patinha ou sentar;
 Procure, pelo menos três vezes por semana, brincar de bolinha com seu cão e seu filho (as crianças adoram brincar de bobinho com os cães);
 Convide alguns amigos de seu filho para brincarem na sua casa com seu cão. Integrar os amigos de seu filho com o cão fortalece a relação de amizade entre ele e o cão e também aumenta a auto-estima da criança;
 Ao mostrar a seu filho a importância de se respeitar as necessidades de um cão, você está ensinando a ele conceitos de respeito ao próximo;
Pelo menos uma vez por semana, entregue-se ao lúdico, inventando brincadeiras e participando da vida de seu filho e de seu cão.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

5 dicas para dizer a uma mãe de autista

Ontem me ligou uma mãe que estava querendo adquirir um cão para seu filho autista de 4 anos. É muito comum mães de autista me ligarem pedindo informações sobre TAA.

Depois da divulgação dos excelentes resultados obtidos na TAA com autistas,  as famílias estão buscando mais informações,  e isso é muito bom. Mas vale salientar aspectos fundamentais que os pais, no anseio de melhorar a qualidade de vida dos seus filhos, não analisam.
Segue 5 dicas para dizer aos pais de autistas sobre ter um cão para seu filho:

- A idéia de ter um cão para interagir com seu filho é ótima, mas deve ser estudada e organizada por pelo menos 6 meses antes de ter o animal;

- Antes de ter o cão em casa,  a família toda precisa freqüentar parques com vários cães, ir a pet shop ou nas grandes lojas de ração, ler livros sobre o assunto. Eles precisam conhecer como é a vida das famílias que têm cão;

- IMPORTANTE: quem vai cuidar do cão é a mãe. O cão antes de se adaptar a nova casa, vai exigir atenção redobrada.  Nenhum cão vem “pronto” e por mais que tenha adestrador, empregada que dorme na casa, a mãe é que vai ter o comando sobre o cão. No começo, ele,  irá fazer coisas erradas até aprender a conviver com seus donos. A mãe deve ser alertada que, como dizem, vai sobrar para ela;

- É melhor adquirir um cão adulto que dê para saber qual o seu temperamento, sua tolerância aos toques e sua afetividade com os humanos. Caso queira comprar um filhote, peça ajuda para um adestrador avaliar o cão antes de comprá-lo. Nunca deixe o filhote com seu filho sem alguém estar por perto, e dê muita qualidade de vida para o cãozinho se tornar um bom cão terapeuta na vida adulta;

- Faça um planejamento. Antes de adquirir um cão, compre um cão de pelúcia, mostre para seu filho, coloque-os para dormir juntos, dê um nome a ele e  compre DVDs com história de cães. Também  veja com os profissionais que cuidam do seu filho como realizar atividades que incluam assuntos sobre cães. O planejamento com uma programação é a chave para o sucesso da TAA.  

    quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

    Olívia na pediatria do Dante Pazzanese

    Quinta passada, Olívia foi pela primeira vez na pediatria do Dante.
    Para trabalhar com esse perfil de assistido é preciso garantir dois pontos fundamentais. Primeiro, que o cão não ficará com medo da euforia das crianças que gritam e pulam de alegria e segundo, que o cão ficará tranquilo ao ser tocado no corpo inteiro mesmo estando numa posição vulnerável. A Lili se saiu muito bem, mas notei que no final ela estava exausta.

    sábado, 4 de dezembro de 2010

    treinando o Faro através de brincadeiras

    Carla e eu brincando com nossos cães com o objetivo de aprimorar o faro


    treino individual de faro